quinta-feira, 24 de novembro de 2011

Movimentação de cargas cresce 49,8% em Suape

OS NÚMEROS SÃO REFERENTES A OUTUBRO; NO COMPARATIVO COM OS DEZ PRIMEIROS MESES DE 2010, A EVOLUÇÃO FOI DE 26% A MAIS QUE O PERÍODO ANTERIOR; A EXPECTATIVA É CHEGAR AO FINAL DE 2011 COM UMA MOVIMENTAÇÃO DE MAIS DE 11 MILHÕES DE TONELADAS DE CARGA



Se a crise internacional, que afeta os Estados Unidos e vários países da Europa, parece não passar perto do Brasil, de Pernambuco é que ela tem mantido mesmo distância. E, no que depender dos números do Complexo Industrial Portuário de Suape, o Estado, que no passado foi um dos que mais cresceu no país, deve fechar o ano mantendo a excelente fase econômica pela qual vem atravessando.

A reportagem do PE247 teve acesso, com exclusividade, ao último balanço do Porto, referente a outubro. Pelo terceiro mês consecutivo, a movimentação de cargas em Suape foi superior a um milhão de toneladas (1.243.456 t) e a de contêineres, superior a 40 mil TEUs (41.357).

Os números, que representam respectivamente um crescimento de 49,8% e 43,2%, em relação ao mesmo período do ano passado, consolidam Suape como um dos maiores portos do Brasil. E não para por aí. Até o final do ano, a expectativa é de uma movimentação superior a 11 milhões de toneladas de carga.

“Suape não foi criado apenas para ser um grande porto e dá suporte ao Estado. O Complexo nasceu para se consolidar como o principal porto do Norte e Nordeste. E estamos conseguindo isso. Hoje, em contêineres, Suape já possui o maior terminal acima (geograficamente) de São Paulo. Sendo maior, inclusive, que os dois portos do Rio de Janeiro. O nosso projeto portuário é o mais moderno de todo o Brasil”, afirma o vice-presidente de Suape, Frederico Amâncio.

De acordo com Frederico Amâncio, um dos motivos para o “boom” desse crescimento no Complexo foi a criação da rota Ásia-Suape, que fez com que o porto passasse a receber, desde agosto, navios vindos direto do continente asiático. “Fizemos um trabalho muito forte e intensivo para podermos atrair linhas internacionais. Antes, esses navios entravam por Santos.

Houve, naturalmente, um foco de crescimento no porto por causa da alta do PIB do Estado e do anúncio da vinda de novas indústrias e fábricas. Mas, mesmo assim, o crescimento em Suape ainda está maior que tudo isso. Conseguimos um resultado excepcional nesse terceiro trimestre”, afirma Amânio. Leia mais

Fonte: http://pedesenvolvimento.com/

Nenhum comentário:

Postar um comentário