segunda-feira, 22 de outubro de 2012

Nova rota comercial vai partir do Porto do Mucuripe


Porto do Mucuripe oferecerá infraestrutura e colaboração científica para viabilizar a rota Brasil-Cabo Verde


A nova rota marítima comercial entre o Brasil e Cabo Verde (arquipélago na África) vai ter como ponto de saída o Porto do Mucuripe, em Fortaleza. A Companhia Docas do Ceará (CDC) já havia assinado com a Enapor (empresa que administra os portos de Cabo Verde) um acordo de cooperação entre o porto cearense e os cabo-verdianos em janeiro deste ano. Mas a parceria foi oficializada recentemente.

Cabo Verde passará a ser um hub (ponto de distribuição). O transit time (em tradução livre, tempo de trânsito) entre o Ceará e outros países africanos e europeus vai ser reduzido pela metade. A consequência disso é a abertura de oportunidades comerciais, aponta o secretário executivo da Câmara de Comércio Exterior do Ceará (CCE), o empresário Roberto Marinho.

O comprometimento do Porto do Mucuripe, por meio da CDC, é de viabilizar tarifas portuárias diferenciadas; colaboração científica, técnica, de formação e de planejamento em conjunto o empresariado. O terminal também vai disponibilizar janela de atracação, que é uma data estabelecida para o navio de acordo com a escala mensal de fluxo.

“Nosso objetivo é escoar não apenas cargas cearenses pelo Porto do Mucuripe, mas também de outros Estados”, afirma Paulo André Holanda, Presidente da CDC. Para ele, a viabilização desta rota deverá ser um marco da retomada das relações comerciais e de cooperação do Brasil com o continente africano.

A diretoria da CDC vai a Cabo Verde em novembro para fechar os detalhes do projeto.

A expectativa de Marinho é de que, em curto prazo, os negócios cheguem a US$ 2,5 milhões, o que pode ser acrescido com o fechamento de contratos de fornecimento de produtos.

Negociação demorada
Prevista para operar ainda este mês, a nova rota comercial marítima terá viagem inaugural adiada para até o final deste ano. Roberto Marinho credita o adiamento à grandiosidade da articulação, que envolve regras no país de origem, do país de destino e da bandeira do armador. Ele afirma que as negociações estão em fase final.

“Falo com os armadores praticamente todos os dias e afirmo que os detalhes operacionais estão sendo construídos de forma a possibilitar este início em 2012. É bom lembrar que começamos do zero, construímos a relação entre os portos, apresentamos aos armadores o projeto, apresentamos aos exportadores para gerarmos carga, aos importadores para gerarmos negócios”, revela Marinho.

Não foi informado quem irá fazer o transporte das cargas. Em agosto, duas companhias de navegação disputavam o entreposto. Eram empresas europeias, de médio porte e que não têm atuação no Ceará.

Diretores da Companhia Docas do Ceará (CDC), responsável pelo Porto do Mucuripe, devem viajar em novembro para Cabo Verde com a finalidade de firmarem os detalhes do projeto da nova rota comercial.

Números

US$2,5 milhões é a previsão de volume de negócios gerados com a nova rota comercial entre o Porto do Mucuripe e Cabo Verde.

30 empresários devem viajar até Cabo Verde para prospectar novos negócios em parceria com empresários do País africano.

operadores disputaram a rota entre o Brasil e o País africano. Entre eles, dois estrangeiros.

O Porto de Fortaleza (Mucuripe) oferece condições de armazenagem e de tarifagem para atender essa nova rota Ceará-África. Além da posição geográfica privilegiada, a Companhia Docas do Ceará (CDC), empresa que administra o Porto de Fortaleza, já está providenciando a homologação do novo calado do Porto de Fortaleza, que hoje tem profundidade entre 13 metros e 14 metros. Isso vai permitir a entrada de navios maiores e com maior volume de carga que na atualidade.

A CDC também demoliu um armazém na faixa do cais para oferecer mais agilidade ao embarque e desembarque de contêineres, reconstruindo-o na retroárea do Porto de Fortaleza.

Dentro da Feira Internacional de Cabo Verde (FIC), existem as chamadas jornadas técnicas. O Ceará vai participar com a apresentação das oportunidades de negócios a partir da Ligação marítima direta, que está sendo criada. A palestra Cabo Verde como hub em África vai ser ministrada pelo secretário executivo da Comissão de Comércio Exterior do Ceará, Roberto Marinho.

O economista e professor universitário Henrique Marinho vai lançar, na FIC, o livro Teorias do Comércio Internacional e Política Comercial.

Fonte: Portos e Navios

Nenhum comentário:

Postar um comentário